“Financeiras” de Crédito e Sua Regulamentação análise qualitativa de práticas e serviços no município de Ribeirão Preto - SP

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Victor Colucci Neto Davi Ferreira Veronese João Paulo Goulart Pedro Carvalho de Almeida Travesso Paulo Ricardo Artequilino da Silva Taffarel Pereira Marques Iara Pereira Ribeiro Maria Paula Costa Bertran

Resumo

O artigo apresenta o resultado de levantamento empírico feito por meio de entrevistas semiestruturadas a proprietários e empregados de “financeiras” e de correspondentes bancários no município de Ribeirão Preto, estado de São Paulo, no primeiro semestre de 2019. O texto problematiza os achados qualitativos da pesquisa em três núcleos de análise: a) como se organizam e se remuneram as empresas conhecidas popularmente como “financeiras”; b) considerando a abundante estrutura de agências bancárias no município de coleta dos dados, quais disfunções podem decorrer do acesso da população mais vulnerável às estratégias das “financeiras”; c) como se estabelece o paradoxo de que o crédito consignado seja o principal produto ofertado pelas “financeiras”. Os achados sugerem a adequação de maior controle regulatório nas rotinas de comissionamento a novos contratos, distribuição geográfica e capilaridade de agentes e controle social e legal do instrumento do crédito consignado.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
COLUCCI NETO, Victor et al. “Financeiras” de Crédito e Sua Regulamentação. Revista da Procuradoria-Geral do Banco Central, [S.l.], v. 13, n. 2, p. 66-81, maio 2020. ISSN 1982-9965. Disponível em: <https://revistapgbc.bcb.gov.br/index.php/revista/article/view/1060>. Acesso em: 23 out. 2020.
Seção
Artigos